O ESCRITÓRIO FERNANDO RAMOS ADVOCACIA INTEGRA ATUALMENTE,
O DIREITO DE EMPRESA, COM ÊNFASE NO DIREITO TRIBUTÁRIO,
PRESTANDO ASSESSORIA JURÍDICA, CONSULTIVA E CONTENCIOSA.

Fernando Ramos Advocacia TRF4 decide que arrolamento de bens em caso dívida tributária só deve ser efetuado quando a dívida ultrapassar o parâmetro de 30% do patrimônio da empresa
TRF4 decide que arrolamento de bens em caso dívida tributária só deve ser efetuado quando a dívida ultrapassar o parâmetro de 30% do patrimônio da empresa.
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

O arrolamento de bens em caso dívida tributária só deve ser efetuado quando a dívida ultrapassar o parâmetro de 30% do patrimônio da empresa.

A decisão é do TRF da 4ª região, que cumpriu a função de cancelar um termo de arrolamento fiscal realizado contra empresa intermediadora de negócios.

A dívida tributária da empresa somava o valor de 64 melhores de reais, entretanto, o patrimônio declarado era R$321 milhões, de forma que, a dívida não configuraria o valor necessário para o arrolamento fiscal.

A Primeira instancia chegou a cancelar o arrolamento de bens realizado por auditor fiscal, decisão que foi mantida pelo Tribunal Regional Federal da região.

O Desembargador Roger Raupp Rios ainda menciona a necessidade de realizar a certificação dos bens da empresa antes do efetivo arrolamento,  já que se a função do arrolamento de bens, como já referido anteriormente, é a de permitir a verificação da movimentação do patrimônio do sujeito passivo, possibilitando a propositura da medida cautelar fiscal e evitando a possível dilapidação patrimonial do contribuinte antes do pagamento da dívida tributária, parece mais do que razoável que o responsável pelo ato procure se certificar da verdadeira situação patrimonial do contribuinte

Desta forma, o pedido da empresa foi julgado procedente para determinar que o Delegado da Receita Federal realize o imediato cancelamento do arrolamento fiscal de bens.

Assine nosso blog